Viver endividado é uma realidade comum para muitas pessoas, mas nem por isso menos preocupante. Dívidas acumuladas geram estresse, ansiedade e problemas financeiros que podem afetar outras áreas da vida. 

No mês de novembro de 2022, o número de famílias inadimplentes, ou seja, com dívidas em atraso, permaneceu no mesmo patamar do mês anterior, totalizando 30,3%. Mas apresentando um aumento em relação aos 26,1% registrados no mesmo período de 2021.

Em relação às famílias que não conseguirão honrar seus compromissos financeiros, houve um aumento para 10,9%, ultrapassando os 10,6% de outubro e os 10,1% de novembro do ano passado.

O percentual de pessoas que se consideram muito endividadas cresceu de 14,8% em novembro de 2021 para 17,5% em novembro deste ano. Além disso, o comprometimento médio da renda com dívidas apresentou um aumento, alcançando 30,4%, em comparação aos 30,3% de outubro deste ano e de novembro de 2021.

No entanto, sair das dívidas e recuperar a saúde financeira não é uma tarefa impossível. Com um planejamento cuidadoso, disciplina e esforço, é possível se livrar das dívidas e começar a construir um futuro financeiro sólido.

Planejamento para sair das dívidas e recuperar a saúde financeira

  • Entenda sua situação financeira:

O primeiro passo para sair das dívidas é entender sua situação financeira. Liste todas as suas dívidas, incluindo os valores, as taxas de juros e as datas de vencimento. Calcule quanto você deve no total e quanto está pagando em juros. Além disso, é importante entender seus gastos mensais e compará-los com sua renda. Se seus gastos forem maiores do que sua renda, você precisará encontrar maneiras de cortar despesas ou aumentar sua renda.

  • Crie um orçamento:

Com base nas informações acima, crie um orçamento. Determine quanto dinheiro você pode gastar a cada mês em suas despesas essenciais, como moradia, alimentação e transporte. Certifique-se de incluir uma parcela para o pagamento de suas dívidas. Um orçamento pode ajudá-lo a controlar seus gastos e a direcionar sua renda para as áreas que mais precisam.

  • Negocie suas dívidas:

Se você estiver lutando para pagar suas dívidas, considere entrar em contato com seus credores e negociar novas condições de pagamento. Muitas empresas estão dispostas a trabalhar com você para encontrar uma solução. Algumas opções incluem reduzir as taxas de juros, estender o prazo de pagamento ou até mesmo perdoar uma parte da dívida. Não tenha medo de negociar.

  • Priorize suas dívidas:

Se você tiver várias dívidas, priorize-as com base nas taxas de juros. Concentre-se em pagar as dívidas com as taxas de juros mais altas primeiro, enquanto continua a fazer pagamentos mínimos em outras dívidas. Uma vez que a dívida com a maior taxa de juros esteja paga, redirecione o dinheiro para a próxima dívida com a maior taxa de juros. Esse método é conhecido como “estratégia da bola de neve” e pode ajudá-lo a se livrar das dívidas mais rapidamente.

  • Corte despesas desnecessárias:

Para pagar suas dívidas mais rapidamente, pode ser necessário cortar despesas desnecessárias. Analise seus gastos e veja onde é possível economizar dinheiro. Talvez seja necessário cancelar assinaturas de TV a cabo ou reduzir suas despesas com alimentação e entretenimento. Cada centavo economizado pode ajudar a acelerar o processo de pagamento de dívidas.

  • Aumente sua renda:

Além de reduzir seus gastos, também é possível aumentar sua renda para pagar suas dívidas mais rapidamente. Considere procurar um emprego em meio período ou encontrar uma maneira de ganhar dinheiro.

07 passos para acabar com os gastos excessivos

Fugir das dívidas pode ser um desafio, mas com planejamento e disciplina é possível alcançar a estabilidade financeira. Confira algumas dicas infalíveis para ajudá-lo a evitar e lidar com as dívidas:

  • Faça um orçamento mensal – Comece anotando todas as suas despesas e receitas e crie um orçamento realista. Certifique-se de reservar uma quantia para as despesas essenciais, como moradia, alimentação e transporte, antes de gastar com outras coisas.
  • Evite compras impulsivas – Antes de fazer uma compra, pergunte a si mesmo se realmente precisa do item e se pode pagá-lo sem prejudicar o seu orçamento.
  • Priorize suas dívidas – Concentre-se em pagar as dívidas com juros mais altos primeiro, como cartões de crédito e empréstimos pessoais.
  • Negocie com seus credores – Se estiver com dificuldades para pagar suas dívidas, entre em contato com seus credores e explique sua situação. Eles podem estar dispostos a oferecer opções de pagamento mais flexíveis.
  • Considere consolidar suas dívidas – Se você tem várias dívidas com juros altos, pode ser vantajoso consolidá-las em um único empréstimo com uma taxa de juros mais baixa.
  • Aprenda a viver dentro de suas possibilidades – Faça escolhas conscientes sobre o que você realmente precisa e pode pagar, em vez de gastar além das suas possibilidades.
  • Busque ajuda profissional – Se você está lutando para lidar com suas dívidas, considere buscar a ajuda de um profissional, como um consultor financeiro ou um advogado especializado em dívidas.

Lembre-se de que lidar com dívidas não é uma tarefa fácil, mas com planejamento e dedicação, você pode alcançar a estabilidade financeira.

A recuperação da saúde financeira é um processo que exige comprometimento e esforço contínuo. É importante estabelecer um plano de ação realista, definir metas financeiras claras e seguir um orçamento estrito para controlar os gastos e aumentar a poupança.

Também é essencial identificar e eliminar hábitos financeiros prejudiciais, como gastar mais do que se ganha ou fazer compras impulsivas. Além disso, é importante estar atento às dívidas e aos prazos de pagamento, negociando com credores sempre que possível.

A recuperação financeira pode ser um processo desafiador, mas os benefícios são enormes. Quando uma pessoa consegue controlar suas finanças, ela pode desfrutar de mais segurança, estabilidade e tranquilidade financeira, além de poder investir em seus objetivos pessoais e alcançar a tão desejada liberdade financeira.

Por fim, leia mais sobre: 10 Passos para começar a organizar suas finanças

Artigo anteriorRestituição de IR: MEI pode receber por pix
Próximo artigoAs vantagens e desvantagens dos tipos de investimentos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui