A diretora do FMI (Fundo Monetário Internacional), Kristalina Georgieva, falou sobre o aumento dos riscos à estabilidade financeira global. Contudo, o discurso ocorreu durante um evento em Pequim, na China, no último domingo, 26 de março.

Na ocasião, a Diretora falou sobre o aumento rápido das taxas de juros mundiais. Motivo esse que ocorre como uma forma de conter a inflação no mercado. Esse fato é evidenciado, por exemplo, pela falência repentina de bancos nos Estados Unidos.

Kristalina faz um alerta sobre que o aumento dos riscos à estabilidade. Consequentemente, é necessária uma vigilância contínua após a recente turbulência do setor bancário. Embora algumas ações tomadas tenham acalmado o estresse do mercado.

Enfim, ela destacou que a China terá importante contribuição para o crescimento econômico mundial em 2023. “A China deverá ser responsável por cerca de 1/3 do crescimento global em 2023, dando um impulso bem-vindo à economia mundial”, disse a diretora na ocasião do evento.

2023 um ano desafiador

Durante o Fórum de Desenvolvimento da China, Kristalina Georgieva ressaltou que espera de 2023 “outro ano desafiador”. Ela destaca a desaceleração econômica nos países, mas ressalta a China como um ‘broto verde’ em meio ao caos.

Kristalina Georgieva, diretora do Fundo Monetário Internacional
Kristalina Georgieva, diretora do Fundo Monetário Internacional – Foto Fabrice Coffrini_AFP

Conforme a Diretora, os motivos são desde a desaceleração do crescimento global. Crescimento que ficou abaixo de 3% devido às feridas deixadas pela pandemia. Outro fator é a guerra na Ucrânia e do aperto monetário pesando sobre a atividade econômica.

Para 2024, ela aposta em uma perspectiva melhor. Porém, o crescimento global permanecerá bem abaixo de sua média histórica de 3,8%. A médio prazo, as expectativas também não são muito promissoras.

As incertezas são altas. A causa, de acordo com Kristalina, é de fragmentação geoeconômica, que pode levar a uma divisão mundial em blocos econômicos rivais. Conforme ainda a Diretora, divisão essa de blocos perigosa. Logo um fato que poderá deixar a população mais pobre e com menos segurança.

O FMI segue monitorando de os países desenvolvimentos e avaliando as possíveis implicações para as perspectivas econômicas globais e a estabilidade financeira global. “Estamos prestando muita atenção aos países mais vulneráveis, em particular os países de baixa renda com altos níveis de endividamento”, disse à diretora no Fórum.

Brotos verdes

Do ponto de vista mais otimista da Diretora do FMI, as notícias sobre a economia mundial não são todas ruins. “Podemos ver alguns brotos verdes, inclusive na China”, diz Kristalina.

A economia da China está tendo forte recuperação, com crescimento do PIB em 5,2% este ano — um aumento considerável de mais de 2 pontos porcentuais em relação à taxa de 2022. Para esse crescimento também conta a recuperação do consumo privado e a reabertura da economia e a normalização da atividade.

Segundo a Diretora, isso é importante para a China, mas também para o mundo, destacando que a recuperação robusta significa que o gigante asiático deve responder por cerca de um terço do crescimento global em 2023, dando um impulso bem-vindo à economia mundial.

Capital da China Pequim
Capital Pequim China. Foto Pexels

E o papel do FMI

O FMI (Fundo Monetário Internacional) é uma organização internacional criada em 1944 para promover a cooperação monetária internacional e a estabilidade financeira, facilitando o comércio internacional, promovendo o emprego e o crescimento econômico sustentável e reduzindo a pobreza.

O papel do FMI na economia mundial é múltiplo. Algumas das principais funções do FMI são:

Monitorar a economia global

O FMI realiza uma análise constante da situação econômica mundial, avaliando os principais riscos e desafios enfrentados pela economia global e fornecendo recomendações para lidar com esses problemas.

Prestar assistência financeira

O FMI fornece assistência financeira a países membros que enfrentam problemas financeiros. Isso pode ser na forma de empréstimos ou outros instrumentos financeiros.

Fornecer política e técnica de aconselhamento

O FMI oferece aconselhamento econômico e técnico aos países membros para ajudá-los a melhorar sua política econômica e promover o crescimento econômico.

Fornecer assistência técnica

O FMI fornece assistência técnica aos países membros em áreas como estatísticas, políticas monetárias, políticas fiscais, regulamentação financeira e desenvolvimento institucional.

Promover a cooperação internacional

O FMI promove a cooperação internacional entre os países membros e outras organizações internacionais para enfrentar desafios econômicos globais e promover a estabilidade financeira.

Em resumo, o FMI desempenha um papel importante na economia mundial, trabalhando para promover a estabilidade financeira, o crescimento econômico e a redução da pobreza.

Economia Mundial

Muitos dos problemas econômicos atuais agora em 2023 vem sendo consequência das medidas impostas pela pandemia.

A pandemia levou a medidas de distanciamento social e fechamentos de empresas, o que afetou significativamente a atividade econômica global. Isso resultou em uma contração do PIB em muitos países, bem como em uma queda no comércio internacional.
A pandemia também levou a um aumento da dívida pública em muitos países, devido às medidas tomadas pelos governos para estimular a economia e apoiar as pessoas afetadas pela crise.

Com a Guerra entre a Rússia e a Ucrânia também levaram a incertezas em torno da economia global. As condições econômicas podem piorar se houver novas ondas da doença ou uma guerra. Além disso, há preocupações sobre a inflação, especialmente nos Estados Unidos, que pode levar a uma mudança na política monetária e afetar a economia global.

As políticas econômicas e de saúde pública serão fundamentais para apoiar a recuperação e garantir a estabilidade econômica no futuro.

Quem é Kristalina Georgieva

Conforme informações do site do FMI, Kristalina Georgieva é uma economista búlgara, e atual Diretora-Geral do

Fundo Monetário Internacional. Cargo para o qual foi nomeada em 25 de setembro de 2019 e que ocupa desde 1º de outubro de 2019 até os dias de hoje.

Antes de ingressar no FMI, Kristalina Georgieva foi diretora-executiva do Banco Mundial de janeiro de 2017 a setembro de 2019, período em que também atuou como Presidente Interina do Grupo Banco Mundial por três meses.

Anteriormente, ajudou a elaborar a agenda da União Europeia durante o período em que atuou como Vice-Presidente de Orçamento e Recursos Humanos da Comissão Europeia.

Nessa função, supervisionou o orçamento de 161 bilhões de euros (US$ 175 bilhões) e os 33 mil funcionários da UE, bem como a resposta da UE à crise da dívida da área do euro e à crise dos refugiados de 2015.

Antes disso, foi Comissária para Cooperação Internacional, Ajuda Humanitária e Resposta a Crises, encarregada de um dos maiores orçamentos de ajuda humanitária do mundo.

Investimento: Aproveite o aumento da Selic

Artigo anteriorAnsiedade: Veja 7 remédios naturais para aliviar a ansiedade
Próximo artigoMiss pula do 6º andar de prédio em SP
Jornalista, copywritter, produtora e redatora de conteúdo para web.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui